Hoje celebramos o centésimo quarto aniversário da Inspiração da Obra sacerdotal de Padre Mário Venturini, concretizada em nossa Congregação de Jesus Sacerdote! No dia 7 de março de 1912, o fundador ao contemplar o quadro de Jesus no Horto das Oliveiras, sentiu em sua alma, o forte chamado de Jesus para dedicar a sua vida pela santificação dos sacerdotes.

Esse episódio ímpar marcou não só a vida do Fundador, mas também, entrou no coração de todos aqueles que seguindo a mesma inspiração de padre Mário, ofereceram e oferecem a vida em reparação dos pecados cometidos contra o Santíssimo Coração Sacerdotal de Jesus, especialmente pelas ofensas cometidas pelos sacerdotes.

É impossível expressar em uma reflexão, o acontecimento deste dia, não há palavras que possam explicar este grande mistério que foi manifestado na vida de padre Venturini. E ainda que o fundador tenha através de seus escritos, dito o que se passou naquele dia, nós, seus filhos somos incapazes de por meio de um texto, descrever como a semente da dor, da agonia, do abandono daquele dia, foi capaz de gerar tanto amor, e de fazer crescer uma árvore, singela em tamanho, mas que contém frutos que exalam santidade.

Talvez, nem padre Mário pudesse entender, naquele dia, no que o Senhor transformaria o seu Sim, no que aquele ardente desejo de santificação se tornaria. Entretanto, uma coisa ele sabia, que mesmo diante de suas fraquezas, Jesus o chamava para construir uma obra de amor.

E aqui estamos nós! Nascemos na fragilidade de uma semente, que poderia não ter crescido, ou ter caído em espinhos, ou até mesmo ter sido roubada pelo diabo. Entretanto, o Senhor semeou a semente em terra boa, e ela deu Frutos. A fecundidade de padre Mário, fez nascer uma obra de amor, de reparação e de doação por aqueles a quem Jesus mais ama: os sacerdotes.

Na docilidade de padre Mário, a água viva do Espírito Santo, fez com que a semente germinasse. Pois, obra não vem da Vontade do homem, mas da Vontade Deus. Porém, onde encontraríamos terreno tão fértil? Onde encontraríamos sacerdote tão santo? Ainda que padre Mário, em sua humildade, se declarasse um pobre pecador. Onde encontraríamos tanta generosidade? Portanto, a semente vem de Deus, a obra é Divina! Mas a terra fértil, o instrumento, é o coração amoroso de padre Mário Venturini, que no dia 7 de Março, não ficou indiferente ao sofrimento de Jesus.

“Esta mínima Obra a quis Deus. Só a mente humana não podia concebê-la, porque alta demais; vontade humana sozinha não podia efetuá-la, porque árdua demais. Deus é o autor dela e nós, que a vivemos, cada dia mais somos convencidos disso. Os instrumentos nas mãos de Deus são ainda menos que o martelo na mão do construtor, ou o pincel na do pintor. Os instrumentos existem, porque Ele os quer; mas é dádiva sua  querê-los, não necessidade, porque não tem necessidade de ninguém.”( Padre Mário Venturini)

O sofrimento de Jesus, A agonia de Jesus, O 7 de março. Ainda permanecerão por muito tempo. E padre Venturini sabia disso:

“No Paraíso não descansarei até que houver um sacerdote para ajudar sobre a terra!”. ( Padre Mário Venturini)

Quantos sacerdotes estão a sofrer neste mundo, seja por suas infidelidades, por suas faltas, por suas ofensas a Santa Igreja. Jesus sofre por eles, pois o sofrimento de Cristo, que suportou os nossos pecados, ainda continua por ver aqueles que são seus, se perderem, se distanciarem, se dividirem.

Quantos sacerdotes estão a agonia-se pelas incompreensões, pelo abandono daqueles que deveriam vigiar com eles, orar com eles. Pois muitas vezes, o povo que deve caminhar junto com o seu pastor, dorme, foge diante das dificuldades, ou trai armando ciladas, para destruir aquele sacerdote que incomoda simplesmente por fazer o bem. Jesus agonia-se com aqueles que assim como ele, foram abandonados nos momentos de dor, que estão sozinhos. Quantos padres estão sozinhos em suas enfermidades, em seus cansaços, em suas dores humanas e espirituais.

O 7 de março está aqui, todos nós somos chamados a está com Senhor neste momento. A está perto daqueles que falham, e que caem, somos chamados a ir ao encontro dos que estão sozinhos, e sofrendo. E principalmente, somos chamados a vigiar com Senhor, a rezar diante do Sacrário, a oferecer sacrifícios, a reparar… reparar… a santifica-se, por aqueles que ofendem o Coração Sacerdotal de Jesus. Padre Mário nos indicou o caminho:

Encontro-me desde alguns dias prisioneiro de uma comoção, sinto no meu coração uma necessidade imensa de amar e de reparar o Senhor. (…) Prometo-vos ainda que me esforçarei para que outras pessoas venham a sofrer… amar e fazer amar, reparar e fazer reparar…” ( Padre Mário Venturini)

33

Portanto, hoje é dia de gratidão, pois mesmo diante de nossa fraqueza, Deus confia a nós, assim como confiou a padre Mário, esta grande missão de amar até o fim, reparando as ofensas daqueles a quem Jesus confiou o ministério Sacerdotal. Além do mais, neste Ano Santo da misericórdia, toda a Igreja é chamada a contemplar o rosto misericordioso do Pai! E por isso, também a nossa congregação, em seu carisma e missão, quer ser esse rosto misericordioso, aqueles filhos amados que receberam do pai, o tesouro sacerdotal, mas que estão a sofrer, seja por seus pecados ou por incompreensões, esperando para voltar ao Pai. Que Maria, Mãe do Sacerdote, escute as nossas orações e acrescente tudo que seu amor sugerir.

Todo o conteúdo exposto por comentários nas matérias deste site é de responsabilidade de seus respectivos autores. Por favor leia nossa Política de comentários antes de comentar.